24.10.2018 | 10h55

Munição ao rival

“Haddad reproduziu uma informação falsa —e de forma imprudente. O petista se baseou numa afirmação do cantor Geraldo Azevedo, que de fato foi barbaramente torturado, mas não por Mourão. O artista se retratou e pediu desculpas, embora tenha mantido suas críticas à candidatura de Bolsonaro”, escreveu Bruno Boghossian na Folha. O colunista aponta que a declaração de Haddad, que já vive cenário adverso, deu munição para o adversário.


VOLTAR PARA O ESTADÃO