03.07.2018 | 16h31

Muito além do ‘vote em mim’

Um dos processos abertos pelo MP eleitoral, que se refere a vídeo em que Lula aparece sob o som de “Eu tô voltando” e uso dos termos “Lula 2018”, expõe outro dilema, o interno no TSE, sobre o que pode ser considerado propaganda antecipada.

Gilmar Mendes, em voto vencido, disse: “É importante que façamos esforço de fixar uma diretiva, pois pedido explícito de voto não é ‘vote em mim’, é mais do que isso e será mais recôndito”. Já Jorge Mussi: “Parece-me que se trata de mera promoção pessoal, sem o pedido expresso, como ouvimos, de voto”.


VOLTAR PARA O ESTADÃO