21.02.2019 | 08h40

‘Mudança na aposentadoria rural não passa’, diz líder do DEM

O governo vai precisar de muita capacidade de negociação para conseguir aprovar pontos importantes da reforma da Previdência. Um deles, o que trata da aposentadoria rural, está sendo rechaçado até por líderes de partidos que podem ser considerados próximos do Planalto, como o DEM, que possui três ministros no governo de Jair Bolsonaro. O líder do partido na Câmara, deputado Elmar Nascimento (BA), disse ao BR18 que, do jeito que foi enviada para o Congresso, a mudança na aposentadoria rural “não passa”.

Na nova regra, a idade mínima para trabalhador rural iguala homens e mulheres e a idade mínima para se aposentar passa a ser de 60 anos, com 20 anos de contribuição. Hoje, a lei prevê 55 anos para mulheres e 60 para homens, com 15 anos de contribuição.  “Sem diferenciação de sexo e com condições similares às oferecidas no meio urbano, a proposta não passa. Uma mulher no campo trabalha em pé, no sol, quase não descansa. Essas variáveis precisam ser levadas em consideração”, afirma Elmar Nascimento. /Marcelo de Moraes

 


VOLTAR PARA O ESTADÃO