12.03.2019 | 14h49

Motivação e mandante são desconhecidos

A Delegacia de Homicídios do Rio de Janeiro nunca atribuiu conotação de motivação ao assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) e do motorista Anderson Gomes, segundo o delegado Giniton Lages. De acordo com o delegado, essa é uma questão para ser respondida pelas próximas fases da operação Lume. A segunda já está em andamento. Segundo o delegado, a intenção de atirador era de matar todo mundo que estivesse no carro.


VOLTAR PARA O ESTADÃO