07.11.2018 | 14h36

Moro ‘aceitou por motivos técnicos’

Há semelhanças entre a indicação do juiz Sérgio Moro para o Ministério da Justiça com o ingresso de procuradores italianos da Operação Mãos Limpas no governo daquele país, mas as diferenças são muito mais importantes, acredita o procurador Rodrigo Chemim, um dos principais estudiosos no Brasil das investigações iniciadas na Itália em 1992.

Autor do livro “Mãos Limpas e Lava Jato: a Corrupção se Olha no Espelho”, ele disse, em entrevista à Folha, que acredita que Moro aceitou ministério por razões técnicas, diferentemente do que aconteceu na Itália.


VOLTAR PARA O ESTADÃO