01.11.2018 | 07h32

‘Mirar na cabecinha e… fogo!’

A cada entrevista que concede, o governador eleito do Rio, Wilson Witzel, faz questão de frisar seus pontos de vista polêmicos em relação à política para o combate à criminalidade. Ao Estadão ele fez questão de ser gráfico: “O correto é matar o bandido que está de fuzil. A polícia vai fazer o correto: vai mirar na cabecinha e… fogo! Para não ter erro”, afirmou o ex-juiz federal.

Disse ser a favor da reeleição e afirmou acreditar que o aliado Jair Bolsonaro –a quem vai pedir a permanência das Forças Armadas no Rio no ano que vem– “vai acabar ficando quatro anos também”.


VOLTAR PARA O ESTADÃO