12.03.2019 | 14h11

Mesmo condomínio de Bolsonaro ‘é coincidência’

O delegado Giniton Lages, da Delegacia de Homicídios do Rio de Janeiro, disse que a polícia trata como “coincidência” o fato de o sargento reformado da Polícia Militar Ronnie Lessa, preso em casa nesta manhã, morar no mesmo condomínio que o presidente Jair Bolsonaro no bairro da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. A declaração foi feita nesta terça-feira, 12, em entrevista coletiva para detalhar a primeira fase da Operação Lume.

“O fato de ele morar no mesmo condomínio do Bolsonaro não diz muita coisa para a investigação da Marielle”. Além de Lessa, acusado de disparar os tiros que mataram a vereadora e o motorista, a operação também prendeu o ex-PM Elcio Vieira de Queiroz, que seria o motorista do carro usado na emboscada.


VOLTAR PARA O ESTADÃO