23.05.2018 | 21h02

Mea culpa, mea culpa

Três dias depois de rezar missa para os romeiros petistas e pedir pela liberdade de Lula, o reitor do Santuário Nacional de Aparecida emitiu uma nota fazendo um “mea culpa” e pedindo desculpas pelo ato na basílica. “Manifesto meu pesar e peço perdão a todos que se sentiram ofendidos pela maneira como conduzi a celebração da missa das 14h”, disse.

A nota, também assinada por dom Orlando Brandes, arcebispo da Arquidiocese de Aparecida, e o padre José Inácio de Medeiros, superior provincial dos Missionários Redentoristas da Província de São Paulo reforça ainda que eles não defendem uma “uma posição político-partidária, que é contrária ao Evangelho”. “Estamos sim, em comunhão com o Magistério e com a Doutrina Social da Igreja”, afirmam.


VOLTAR PARA O ESTADÃO