10.01.2019 | 08h28

MBL fustiga governo nas redes

Vai se acentuando dia a dia o afastamento do MBL (Movimento Brasil Livre), braço muito mobilizado e influente nas redes sociais, em relação ao governo Bolsonaro. Depois do lançamento da candidatura de Kim Kataguiri (DEM) à presidência da Câmara e do bombardeio ao escolhido para coordenar o Enem, o ex-MBL Murilo Resende, o movimento usou a rede nos últimos dias para atacar fortemente propostas ou contradições da gestão.

Foi criticada a decisão, anunciada pelo general Santos Cruz (Secretaria de Governo), de não extinguir a EBC. “Não era promessa de campanha, Bolsonaro?”, questionou o movimento nas redes. Além disso, também mereceu crítica a possibilidade de não incluir os militares na reforma da Previdência, como postula a ala fardada do governo. / V.M.


VOLTAR PARA O ESTADÃO