15.03.2018 | 08h37

Marina tenta compensar diáspora da Rede com grupos independentes

Às vésperas de sua terceira campanha presidencial, Marina Silva está de volta ao trabalho de formiguinha de colocar um partido em pé. Depois da diáspora de políticos como Alessandro Molon, que trocou a Rede pelo PSB, a ex-senadora tenta atrair grupos independentes para a sigla.

Alheia ao baque que a saída de dois deputados federais representa para sua candidatura – as emissoras de TV não têm mais obrigação de convidá-la para debates, por exemplo -, Marina segue falando em marinês: “A discussão será programática. Nós não vamos filiar pessoas em função da lógica do tempo de televisão”, disse, após acertar a entrada do grupo Acredito! na sua Rede um tanto frágil. / V.M.


VOLTAR PARA O ESTADÃO