23.09.2018 | 16h09

Marina não quer ser nem cruz, nem espada

Em agenda em Curitiba (PR), Marina Silva tentou se colocar como alternativa ao “plebiscito” entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) que avizinha em um possível segundo turno. “Não podemos permitir que as eleições se transformem em um plebiscito, uma escolha entre a cruz e a espada”, afirmou.

“(Contra) A cruz da corrupção e a espada que estimula o ódio e o preconceito, nós somos a mudança que o Brasil precisa, as coisas boas vamos preservar e as coisas erradas nós vamos reparar e punir”, disse, de acordo com reportagem do Estadão.


VOLTAR PARA O ESTADÃO