16.09.2018 | 07h50

Marina aumenta o tom, mas pode ser tarde

Marina Silva reagiu à queda registrada nas pesquisas com ataques mais diretos aos adversários, especialmente contra Jair Bolsonaro e Fernando Haddad. O problema é que pode ter sido tarde demais.

A candidata da Rede viu, passivamente, suas intenções de voto caírem pela metade até tentar mudar a estratégia da campanha. Alguns aliados avaliam que a demora nessa reação pode já ter comprometido suas chances de chegar ao segundo turno. E, mesmo ela dizendo que não “irão desidratá-la”, esse processo já está avançado. /M.M.


Mais conteúdo sobre:

Marina Silva
VOLTAR PARA O ESTADÃO