03.08.2018 | 16h04

Marina, ‘a candidata invisível’

Na campanha presidencial “mais difícil” de sua carreira, Marina Silva vai precisar superar seu modo quase invisível de fazer política, avalia a reportagem de capa da revista Época desta semana. Sem dinheiro, quase sem apoio e praticamente sem tempo de TV, a candidata tem apostado nas redes sociais e no financiamento coletivo para conquistar votos, diferente das campanhas mais tradicionais.

Marina aposta na fala “olho no olho” com o eleitor e confia em seu carisma, mas aliados avaliam que a estratégia tem efeito político reduzido e pode atrapalhar.


VOLTAR PARA O ESTADÃO