24.05.2018 | 10h52

Mais Congresso, menos MPs

A previsão para o próximo presidente não é das mias animadoras no Congresso. Ao que tudo indica, o novo chefe do Executivo não terá maioria no Legislativo. Para superar essa dificuldade, o cientista político Octavio Amorim Neto, professor da FGV-Rio, sugere a formação de um ministério de notáveis, aos moldes do que tentou Collor em 1992.

Merval Pereira resume a proposta em sua coluna no jornal O Globo. A ideia é um governo com “um sólido setor político que se proponha a se articular sempre com o Congresso e que não tenha nas medidas provisórias seu principal instrumento de ação”.


Mais conteúdo sobre:

Congresso
VOLTAR PARA O ESTADÃO