29.09.2018 | 08h13

Lula e Bolsonaro

Em sua coluna deste sábado no Estadão, João Domingos descreve os processos históricos que levaram ao surgimento e à consolidação de dois líderes antagônicos, Lula e Jair Bolsonaro, como representantes da esquerda e da direita.

“O jeito petista de governar, com o forte aparelhamento da máquina pública que teve por objetivo pôr o Estado a serviço de um partido, fez com que surgisse uma força de reação na sociedade, uma força que não sabia direito o que queria. Só sabia que estava de saco cheio de alguma coisa, do discurso do nós contra eles adotado pelo PT e que não levava a lugar nenhum. Eleitores de centro, acostumados a votar no PSDB na longa polarização com o PT, pularam para o lado direito e foram engrossar as tropas de Bolsonaro. De forma que, quando o mundo político percebeu, o capitão reformado já estava léguas à frente”, escreve.


VOLTAR PARA O ESTADÃO