19.03.2018 | 18h01

Limongi: Presidência é para poucos

A perda de força do PT e a ausência de um candidato competitivo associado ao governo atrasam as definições eleitorais, mas o quadro de candidaturas à Presidência tende a ser enxugado. Esta é a tese central de artigo do cientista político Fernando Limongi no Valor desta segunda (só para assinantes).

“Nos próximos meses, os partidos serão forçados a definir suas estratégias, considerando ganhos e perdas que ter candidato próprio à presidência acarretam. Como sempre, a maior parte optará por se retirar do páreo principal, concentrando suas apostas em cargos menores. Poucos partidos têm estrutura e força eleitoral para bancar uma candidatura presidencial. A presidência é para poucos”, diz ele.

 


Mais conteúdo sobre:

Eleições 2018partidospresidência
VOLTAR PARA O ESTADÃO