06.12.2018 | 14h02

Liderança indígena: ‘Não somos iguais’

Representantes de diferentes etnias indígenas se reúnem nesta quinta, 6, em frente a sede provisória do governo, em Brasília, para tentar conversar com o presidente eleito ou com o deputado Onyx Lorenzoni e entregá-los um documento que defende a permanência da Funai no Ministério da Justiça. Até agora, não há definição do destino da fundação.

Kretã Kayangang, coordenador da Articulação dos Povos Indígenas (Apib) na região Sul, afirmou que índios não são iguais a não índios, em referência à declaração de Jair Bolsonaro de que índio é igual “a todos nós e quer internet”. “Não somos iguais (…) Cabe a cada comunidade decidir como quer conduzir sua terra. Não é porque estudei história que deixei de ser índio, mesmo sendo um doutor. Nunca vou ser um não índio, eu posso ter um celular, ter um carro, assim como tenho que respeitar índio que quer ficar isolado voluntário”, disse.


Mais conteúdo sobre:

ApibÍndioFunai
VOLTAR PARA O ESTADÃO