21.07.2018 | 10h01

Legislativo como ‘extensão da igreja’

Os evangélicos não são coesos politicamente, fazem do Legislativo uma extensão de suas igrejas, não votam necessariamente em seus pares e têm mais apreço por Marina Silva e Jair Bolsonaro, afirma o sociólogo Ricardo Mariano, na revista IstoÉ.

“Lula conta com a preferência eleitoral de muito mais evangélicos que Bolsonaro e Marina. No entanto, a proporção de evangélicos que pretende votar no petista está abaixo da média de seus demais eleitores, o que demonstra certa resistência evangélica ao PT e a seu pré-candidato”, diz.


Mais conteúdo sobre:

Jair BolsonaroMarina Silva
VOLTAR PARA O ESTADÃO