14.03.2019 | 16h08

Lastro evangélico no MEC para evitar veto

O “lastro” evangélico dado à nova indicada para assumir a secretaria-executiva do MEC, Iolene Lima, tem um objetivo: evitar que ela seja mais uma vítima de veto de Olavo de Carvalho na assessoria do ministro Ricardo Vélez Rodríguez. Quem levou Iolene, que é sócia da conceituada escola batista Inspire, em São José dos Campos, para o ministério foi Luiz Antonio Tozi, derrubado da secretaria-executiva pelo polemista de Virgínia.

Iolene integra o mesmo grupo de Tozi e de Rubens Barreto, também egresso do centro Paula Souza, instituição de ensino do governo de São Paulo, também gongado por Olavo e seus pupilos. Como Iolene tem o lastro de ser da mesma igreja de Michelle Bolsonaro, que também congrega muitos expoentes da ala militar no MEC, acredita-se que estará a salvo da guilhotina olavista. A conferir. / Vera Magalhães


VOLTAR PARA O ESTADÃO