04.02.2019 | 08h08

Laranjal no PSL de Minas?

O PSL de Minas, controlado pelo ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antonio, é apontado como patrocinador de candidaturas laranjas na cota obrigatória de mulheres determinada pela lei eleitoral aos partidos como forma de canalizar recursos do fundo eleitoral. Reportagem da Folha mostra que quatro candidatas a deputada em Minas que tiveram no máximo 2.000 votos receberam polpudas fatias do fundo e contrataram empresas ligadas ao ministro, que já prestaram serviços para seu gabinete.

A reportagem foi até os prestadores de serviços em Ipatinga, Governador Valadares, Timóteo e Coronel Fabriciano e constatou que muitos nem conhecem as candidatas que os contrataram. Uma delas acusou Marcelo Álvaro de exigir a devolução de parte dos recursos. Dos R$ 279 mil repassados pelo PSL, ao menos R$ 85 mil foram destinados a quatro empresas que são de assessores, parentes ou sócios de assessores do ministro de Bolsonaro.


VOLTAR PARA O ESTADÃO