30.08.2018 | 14h24

JN: ‘Redução do crime é obra do PCC’

O presidenciável Geraldo Alckmin (PSDB), ex-governador paulista, costuma dizer que a política de segurança em São Paulo “é um exemplo”. Na quarta-feira, 29, em entrevista ao Jornal Nacional, Alckmin voltou a afirmar, para sustentar sua posição, que o número de assassinatos por ano no Estado caiu de 13 mil em 2001 para 3.503 em 2017, em resposta a uma pergunta sobre a questão da segurança em São Paulo.

Nesta altura, os brasileiros “ficaram sabendo”, por meio dos entrevistadores, que a redução dos assassinatos no Estado teria ocorrido não por causa da ação policial e de uma bem sucedida política do governo, mas por obra do PCC, maior facção criminosa do País. “Muitos especialistas dizem que ela (essa redução) se deve mais ao fato dessa facção criminosa ter eliminado os rivais, dominando o crime, do que à ação da polícia”, disse Renata Vasconcellos, do JN. “É inacreditável alguém dizer que 10 mil pessoas deixam de ser mortas por ano e que o responsável por isso é o crime”, retrucou Alckmin, que negou o comando da bandidagem pelo PCC a partir das prisões. / J.F.


VOLTAR PARA O ESTADÃO