19.08.2018 | 16h10

‘Jeitinho’ na cota feminina

Sem um número expressivo de mulheres, os partidos estudam como aplicar os 30% do fundo eleitoral obrigatoriamente destinados às candidaturas femininas. E algumas legendas estão encontrando ‘jeitinhos’ para isso, sem cumprir o objetivo de aumentar a representação das mulheres na política.

Como relata O Globo, uma das táticas é inflar o número de candidatas a suplente de senadores e contabilizar recursos com elas. No entanto, suplentes não gastam dinheiro em campanha, e o dinheiro acaba ficando na realidade com o candidato ao Senado.


VOLTAR PARA O ESTADÃO