05.10.2018 | 14h58

Inconsequência eleitoral?

“Impermeável a todos esses temores, a maioria do eleitorado, dividida em duas hostes aguerridas, à extrema direita e à extrema esquerda do espectro político, parece firmemente determinada a plantar vento nas urnas de domingo. Sem sombra de preocupação com o que, afinal, poderá ser colhido”, escreveu Rogério Furquim Werneck no Globo.

O colunista avalia que o programa de governo petista parece de agremiação nanica, enquanto o de Jair Bolsonaro (PSL) preocupa pelo primitivismo das ideias. Werneck afirma que o País não merece tamanha inconsequência.


VOLTAR PARA O ESTADÃO