04.07.2018 | 14h10

Impacto do fundo eleitoral em troca-troca

Ainda sobre migração partidária, se até recentemente o Fundo Partidário não definia as mudanças, uma vez que a distribuição do bolo se dá segundo o número de cadeiras obtida na Câmara nas últimas eleições, com a chegada do Fundo Especial de Financiamento de Campanha o quadro mudou.

Isso porque 48% dos recursos devem ser distribuídos com base na composição da Casa no último dia de sessão legislativa imediatamente anterior ao ano eleitoral (28 de agosto de 2017). “Os maiores beneficiários das migrações da primeira janela, no que tange a partilha do FEFC, serão o PP, DEM e o PR. Os mais prejudicados serão o PTB, PT e PROS”, diz a pesquisa.

Documento

 


 

 

 

Mais conteúdo sobre:

Fundo Partidário
VOLTAR PARA O ESTADÃO