06.01.2019 | 08h01

Heleno para arrumar a cozinha

Ruídos, bateção de cabeça e recuos são normais na primeira semana de um governo. Mas as urgências que exigem decisões cruciais em todas as pastas a todo momento requerem organização rápida. No caso do governo federal, esse papel é exercido na cozinha, que é o Palácio do Planalto. E é justamente ali que parece reinar a bagunça maior na mudança da “família” Bolsonaro. É sobre isso que escrevo na minha coluna no Estadão neste domingo.

Diante de uma escalação confusa e de uma certa sobreposição de tarefas, emerge a figura do general Augusto Heleno como aquele capaz de organizar o trabalho, pela experiência e a ascendência que tem sobre o presidente.


VOLTAR PARA O ESTADÃO