13.10.2018 | 09h54

Haddad perde guerra religiosa

Se já era eivada de mistificações políticas e sociais variadas, a campanha enveredou nos últimos dias para uma perigosa guerra religiosa. Fernando Haddad, depois de ir a uma missa e passar a evocar com mais frequência o passado religioso da família, disparou: “Sabe o que é o Bolsonaro? Ele é o casamento do neoliberalismo desalmado, representado pelo Paulo Guedes, […] com o fundamentalismo charlatão do Edir Macedo. Isso é o Bolsonaro”. No mesmo dia, bateu boca com uma eleitora dizendo que ela devia ser “ateia”.

Edir Macedo foi aliado do PT nos governos (e nas eleições) de Lula e Dilma Rousseff, não custa lembrar. Bolsonaro não deixou passar a chance e acusou o adversário de querer colocar católicos contra evangélicos, em mais uma forma de dividir o País. O saldo político, mais uma vez, é negativo para o petista. / V.M.


VOLTAR PARA O ESTADÃO