29.09.2018 | 18h44

Haddad distante da ‘nova classe média’

Fernando Haddad é preferido pelo eleitorado da classe dos excluídos (segmento com baixíssimas escolaridade, renda e classificação econômica), ou 24% do eleitorado, mas perde para Jair Bolsonaro entre o da classe média (69% do eleitorado), analisam Mauro Paulino e Alessandro Janoni, na Folha.

“A classe média intermediária, por seu peso quantitativo e pela bem definida clivagem econômica do voto, foi o fiel da balança pró-Dilma Rousseff no segundo turno de 2014. Foi também determinante na vitória do “antipolítico” João Doria em primeiro turno para prefeito de São Paulo em 2016”, escrevem.


VOLTAR PARA O ESTADÃO