13.10.2018 | 15h11

Haddad abre mão até de ‘defender companheiros’

Em sua nova versão “careta”, Fernando Haddad abriu mão até mesmo de uma máxima do PT nos últimos anos: a defesa intransigente dos “companheiros”. Para o ex-prefeito de São Paulo, quando for provado que dirigentes partidários “enriqueceram ilicitamente” eles devem ir para a cadeia.

“Se algum dirigente (partidário) cometeu erro e quando garantido o amplo direito de defesa, a conclusão é que (ele) enriqueceu (ilicitamente), tem que ir para a cadeia”, afirmou. O petista já havia “evitado” defender dirigentes partidários em sua participação no Jornal da Globo, quando afirmou “não conhecer os detalhes” dos processos contra José Dirceu, João Vaccari Neto, André Vargas e Antonio Palocci.


VOLTAR PARA O ESTADÃO