16.06.2019 | 09h55

Guedes também estava insatisfeito com Levy

A interlocutores, Paulo Guedes atribui a “ansiedade” de Jair Bolsonaro com Joaquim Levy, que julga compreensível, ao fato de que o presidente considera que o economista não cumpriu a missão de “abrir a caixa preta” do BNDES. O presidente implica com Levy há meses (na verdade não concordava nem com sua nomeação), mas vinha aguardando em consideração ao ministro da Economia.

Guedes optou por Levy, a despeito da contrariedade do presidente, porque julgava que ele tinha o perfil ideal para atrair investimentos enquanto a gestão atual “despedalava” o BNDES. Mas, enquanto Bolsonaro se incomodava com a dificuldade de Levy em destravar o passado (mantendo ou nomeando pessoas ligadas ao PT e resistindo a abrir a tal caixa preta), Guedes também estava insatisfeito com o futuro da instituição, diante do que considerava ritmo lento de projetos de privatizações e PPI e no plano de reestruturação financeira de Estados e municípios. / Vera Magalhães


Mais conteúdo sobre:

Paulo Guedes Joaquim Levy
VOLTAR PARA O ESTADÃO