18.10.2018 | 14h36

Gráfica investigada atua em campanha

A campanha do petista Fernando Haddad à Presidência da República contratou a gráfica Print, que aparece em investigações no Mato Grosso, incluindo uma como destinatária ilegal de dinheiro da JBS. O dono da gráfica, Daniel Fernandes Defanti Junior, chegou a ser preso em 2015 durante a operação Edição Extra.

A empresa foi contratada pela campanha de Haddad para o fornecimento de impressos e adesivos, no valor de R$ 111 mil, de acordo com o site do TSE, informou a Folha.


VOLTAR PARA O ESTADÃO