19.02.2019 | 19h22

Governo sem representantes no CNJ

A Presidência não terá voz no Conselho Nacional de Justiça nos próximos dois anos após recondução de conselheiros da Câmara e do Senado às vagas no órgão de controle do Judiciário nesta terça, 19, informa O Globo. O advogado Henrique Ávila voltou ao posto após assinatura do ministro Dias Toffoli enquanto presidia o País interinamente. Já a procuradora de Justiça Maria Tereza Uille Gomes foi reconduzida com apoio do ex-presidente Michel Temer.

Duas das 15 vagas de conselheiros no CNJ são indicadas pelo Congresso: uma pela Câmara e outra pelo Senado. As demais são do STF, STJ, TST, OAB e PGR.


Mais conteúdo sobre:

CNJCongresso
VOLTAR PARA O ESTADÃO