10.02.2019 | 13h59

Governo sem puxadinho na Câmara

Rodrigo Maia (DEM-RJ) tem se colocado como um potencial aliado da reforma da Previdência, mas o presidente da Câmara deixa claro que não aceitará se subordinar aos desígnios do Executivo, e que a Casa não será um “puxadinho” do governo –nem metaforica nem literalmente. O episódio da negativa de uma sala para que o governo despachasse da Câmara é um alerta de que a relação tem de ser construída, conforme ele deixa claro em entrevista ao Estadão publicada neste domingo.

Maia já se mostrou pendular na relação com o governo Michel Temer. Construir a maioria para a votação das reformas é tarefa do governo, como tenho falado aqui, e como o presidente da Câmara alertou em todas as falas que fez na primeira semana depois de reeleito. Mas o governo segue com a política paralisada, à espera da volta de Jair Bolsonaro. / V.M.


VOLTAR PARA O ESTADÃO