17.02.2019 | 12h54

Governo quer gerar fatos contra ‘efeito Bebianno’

Para tentar minimizar o estrago político que a demissão do ministro Gustavo Bebianno já está causando, o governo vai priorizar o máximo possível de agendas públicas. Na terça, o pacote anticrime será enviado ao Congresso e, no dia seguinte, a aguardada proposta de reforma previdenciária será finalmente revelada em todos os seus detalhes e enviada para os parlamentares começarem sua tramitação. De quebra, Jair Bolsonaro terá encontros com parlamentares para tentar quebrar resistências e ainda usará a televisão para falar sobre a reforma.

O problema é que, independentemente da importância dessas agendas, basta que Bebianno dê alguma declaração mais forte para desgastar a imagem do presidente e do governo justamente num de seus momentos mais importantes. /M.M.


VOLTAR PARA O ESTADÃO