09.01.2019 | 14h34

Governo muda edital e permite erros em livros didáticos

No segundo dia de mandato, o governo de Jair Bolsonaro alterou o edital para os livros didáticos que serão entregues em 2020. Não será mais necessário que os materiais tenham referências bibliográficas e que as ilustrações retratem “adequadamente a diversidade étnica da população brasileira. Também foi retirado o item que impedia publicidade e erros de revisão e impressão, informou o Blog da Renata Cafardo no Estadão.

O MEC compra cerca de 150 milhões de livros por ano, com custo de R$ 1 bilhão. Os livros, no entanto, já foram enviados em novembro ao MEC para avaliação. Agora, editoras temem que seus livros sejam reprovados. Fontes do setor ouvidas pelo Estado temem materiais de baixa qualidade sejam aprovados.


VOLTAR PARA O ESTADÃO