15.03.2019 | 17h43

Goleada de Macris mostra falta de articulação do PSL

De forma semelhante com o que ocorre no governo federal, a bancada do PSL em São Paulo tentou reproduzir a lógica de campanha na disputa pela presidência da Alesp: utilizou as redes sociais para mobilizar as milícias digitais, pressionou deputados pelo WhatsApp e não negociou com os colegas de outros partidos. O resultado apareceu no painel de votação: Janaina Paschoal, que teve aproximadamente 2 milhões de votos na eleição de outubro, teve apenas 16 votos (sendo 15 do PSL), contra 70 de Cauê Macris (PSDB). Uma goleada do tucano que, como é praxe, sentou com os partidos de oposição para viabilizar seu nome. Daniel José (NOVO) e Mônica Seixas (PSOL) tiveram quatro votos cada.


VOLTAR PARA O ESTADÃO