14.02.2019 | 09h19

Goldfajn prega ‘cautela’

Prestes a deixar a presidência do Banco Central, Ilan Goldfajn recomenda “cautela” nas próximas decisões do Comitê de Política Monetária (Copom), órgão que reúne a diretoria do BC para decidir os rumos da Selic, a taxa básica de juros. A principal preocupação é o desequilíbrio das contas públicas, diante da indefinição da aprovação das reformas.

“Eu diria que, com o desafio fiscal relevante que a gente tem pela frente (a Selic), estando hoje nas mínimas históricas, testar novas mínimas históricas, precisa ser feito com certa cautela”, afirmou em entrevista ao Estadão.


VOLTAR PARA O ESTADÃO