06.01.2019 | 11h05

General nega intenção de intervir em ONGs

Em entrevista à BBC Brasil, o general Santos Cruz, ministro da Secretaria de Governo, defendeu a inclusão nas atribuições de sua pasta, por meio de medida provisória, do monitoramento de organizações não-governamentais e supervisão de atividade de organismos internacionais. Disse que a intenção não é intervir essas organizações. “Isso está dentro de um princípio de otimização do recurso público. Você tem milhares de entidades que utilizam recursos públicos, e você pode usar muito melhor essas entidades para complementar a ação governamental (segundo o Ipea, havia 820 mil ONGs no Brasil em 2016, das quais 7 mil receberam recursos do governo federal). Mas só que precisa uma coordenação maior. Então, o objetivo não é de restrição, não é de influir no método de trabalho, não tem nada a ver. É simplesmente de coordenação e de obter melhores resultados. Agora, esses resultados precisam ser acompanhados”, afirmou.

 


VOLTAR PARA O ESTADÃO