19.10.2018 | 09h46

Gastos com WhatsApp

Candidatos nas eleições 2018 declararam gastos de ao menos R$ 3 milhões para impulsionar conteúdo de suas campanhas por meio do WhatsApp. Foram contratados serviços de envio de até 1 milhão de mensagens de uma só vez de uma série de empresas e até a compra de listas de telefones – o que é ilegal.

O valor não está corretamente notificado. Em levantamento, o Estado considerou somente os casos em que o próprio candidato especificou o nome “WhatsApp”. Mas é comum que as campanhas paguem por esse mesmo tipo de trabalho e o descrevam como “impulsionamento.” Neste caso, o total de despesas foi de R$ 67 milhões até o momento – a maior parte foi para o Facebook, segundo o Estadão.


VOLTAR PARA O ESTADÃO