05.07.2018 | 11h47

Futebol sem ‘coxinhas’ e ‘mortadelas’

Em artigo publicado no Estadão nesta quinta-feira, 5, o jornalista José Fucs, repórter especial do jornal e um dos autores do BR18, diz que, ao contrário do que mostrou uma pesquisa, a Copa do Mundo contagiou os brasileiros e tingiu o País de verde-amarelo.  Segundo ele, houve quem quisesse transferir para o futebol a polarização política existente hoje no Brasil, estigmatizando a “amarelinha”, por ter sido símbolo da luta contra o impeachment de Dilma. Mas, felizmente, isso não aconteceu.

“A quase totalidade da população deu de ombros aos que teimam em dividir o Brasil em ‘nós’ e ‘eles’. Enquanto alguns tentavam semear a discórdia, a maior parte dos brasileiros vestiu com orgulho o manto sagrado da seleção de futebol”, afirma. “É bonito ver todo mundo junto, ‘coxinhas’ e ‘mortadelas’, pobres e ricos, homens e mulheres, brancos, negros e índios, formando aquela “corrente pra frente” de que fala o velho hino da Copa de 70. Independentemente da ideologia de cada um, o Brasil é um só País.”


VOLTAR PARA O ESTADÃO