17.09.2018 | 13h36

Fragmentações e voto útil

“Embora fragmentado, o centro tem vantagem estratégica ainda não reconhecida amplamente: bolsonaristas e petistas preferem um candidato de centro a seus antípodas ideológicos. Mas o risco de falhas de coordenação é alto —quem será o ponto focal?”, escreveu Marcus André Melo na Folha. O colunista discute a incerteza do primeiro turno, sobretudo pelos estímulos existentes para o voto útil.


VOLTAR PARA O ESTADÃO