28.05.2018 | 10h04

O benefício da fragmentação

O que poderia ser considerado o ponto fraco da greve dos caminhoneiros, a falta de unificação política pode ter fortalecido a categoria, avaliam sindicalistas. “”Se fosse por motivações políticas, a paralisação teria enfraquecido logo no início”, disse o presidente do Sindicato dos Transportadores Autônomos de Cargas de Volta Redonda e Região Sul Fluminense, Francisco Wild, ao Valor.

Um exemplo da fragmentação é o apoio à intervenção militar. Enquanto alguns defendem a medida, ela é contra o interesse da classe, já que Michel Temer determinou uso de força para liberar estradas.


VOLTAR PARA O ESTADÃO