29.09.2018 | 12h32

Fósforo no pavio

Uma das criadoras do grupo Mulheres Contra Bolsonaro, Ludmilla Teixeira afirma que apenas “acendeu o fósforo para explodir o barril de pólvora da indignação coletiva feminina”. Em entrevista para reportagem do Estadão, a funcionária pública baiana se define como “anarquista”, diz que não sabe em quem vai votar e fala sobre a criação do grupo do Facebook, que foi a plataforma para a convocação de manifestações de rua que acontecem em todo o País neste sábado.


VOLTAR PARA O ESTADÃO