29.04.2018 | 11h35

Ferida em vigília relata ameaças

Uma das feridas durante ataque a tiros à vigília pró-Lula em Curitiba disse ter havido ameaças prévias ao incidente.

A advogada gaúcha Márcia Koakovski, ferida de leve no ombro por estilhaços de um banheiro químico atingido pelos disparos, disse à Folha que um grupo passou pelo acampamento gritando ameaças de morte na madrugada de sexta para sábado.


VOLTAR PARA O ESTADÃO