16.08.2018 | 16h15

Favreto se defende atacando Moro

Rogério Favreto partiu para cima de Sergio Moro, Gebran Neto e do “moralismo” em sua defesa no CNJ. O magistrado, que ganhou seus cinco minutos de fama ao tentar soltar Lula durante seu plantão no TRF-4, disse que Moro  foi “alçado a figura mitológica que combate o mal” e Gebran não poderia ter revisto a ordem dele. “Grandes atrocidades foram cometidas pela humanidade em nome da moral particular dos homens, de um homem ou de uma nação inteira”, afirmou, segundo o site Jota.

Favreto, que foi filiado ao PT até 2010, também negou que isso tenha influenciado em sua decisão de soltar o ex-presidente. “Não se pode esperar que o ex-presidente seja amigo de todas as pessoas que ocuparam cargos em seu governo, muito menos amigo de todas as pessoas filiadas ao partido. Desta forma, afirma-se que não há laço de amizade e/ou intimidade que justificassem o impedimento do magistrado”, disse.


VOLTAR PARA O ESTADÃO