22.10.2018 | 08h20

Fake news e a decisão de voto

O quanto ser exposto e compartilhar fake news altera a decisão de voto? Diante da centralidade que o tema adquiriu na campanha brasileira, Marcus André Mello se dedica a tentar responder a essa questão em sua coluna nesta segunda-feira na Folha. A partir de vários estudos a respeito do assunto, conclui que “notícias falsas produzem polarização, mas não alteram o voto de forma significativa”.

“Esta conclusão sugere que as notícias só “pegam” quando ancoradas em uma estrutura de crenças estabelecida. As pessoas preferem informação que confirme as atitudes pré-existentes (exposição seletiva), consideram informação consistente com suas crenças como mais persuasiva que informação dissonante (viés confirmatório), e são mais propensas a aceitar informação que lhes agrade (viés de desejabilidade)”, escreve.


Mais conteúdo sobre:

fake newseleiçõesdecisão de voto
VOLTAR PARA O ESTADÃO