13.02.2019 | 08h27

Explicações só com convocação

O general Augusto Heleno, chefe do Gabinete de Segurança Institucional, afirmou na terça, 12, que só dará explicações sobre acusações de espionagem de bispos e padres à Câmara, se for convocado. “Se fosse convidado, não. Se for convocado, sou obrigado a ir”, disse.

Deputados da oposição já falaram em levar o ministro para prestar explicações sobre o monitoramento sobre o chamado “clero progressista”. Como revelou o Estadão, o Planalto recebeu relatórios com detalhes das reuniões de preparação do Sínodo da Amazônia, que reunirá em Roma, em outubro, bispos de todos os continentes. O governo quer conter o que considera um avanço da Igreja Católica na liderança da oposição.


VOLTAR PARA O ESTADÃO