04.07.2018 | 14h32

Executivos da GE e da Philips presos no Rio

Foram presos pela Polícia Federal no Rio nesta quarta-feira, 4, os executivos Daurio Speranzini Júnior, presidente da GE e ex-presidente da Philips, e Miguel Iskin, ex-supervisor de vendas da Philips, que chegou a ser detido em 2017 mas foi solto pelo ministro Gilmar Mendes, do STF.

Como informou o Blog do Fausto, eles são investigados na operação Ressonância, desdobramento da Fatura Exposta, braço da Lava Jato no Rio, que apura contratos celebrados na área da saúde pelo governo fluminense e pelo Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia Jamil Haddad (Into).  Além dos dois, a 7ª Vara Federal Criminal autorizou a prisão preventiva de mais 11 pessoas e a temporária de 9. Também foi autorizada busca e apreensão em 44 endereços e decretado o bloqueio de bens dos investigados, no valor de R$ 1,2 bilhão. / J.F.


Mais conteúdo sobre:

GEPhillipsLava JatoRessonância
VOLTAR PARA O ESTADÃO