05.02.2019 | 15h57

Ex-segurança de Bolsonaro cresce rápido no Planalto

Ex-segurança de Jair Bolsonaro durante a campanha, Max Guilherme Machado de Moura, que integrou o Bope, tem crescido no governo. No Diário Oficial da União desta terça-feira, 5, ele foi nomeado assessor Assessor Especial do Gabinete Pessoal do Presidente da República, com salário de R$ 13.623,39 (DAS 102.5). Em novembro, Max ganhou o cargo de assessor do Gabinete Adjunto de Informações do Gabinete Pessoal do Presidente da República com um salário um pouco menor (R$ 10.373,30) e recebeu o direito de utilizar um apartamento funcional. 

Durante a campanha eleitoral, quando Bolsonaro foi vítima de um atentado em Juiz de Fora (MG), o agora assessor recebeu R$6.400,00  para integrar a equipe de seguranças do então candidato. Em 2011, o vereador Dr. Jorge Manaia (PDT-RJ) fez uma moção na Câmara do Rio de Janeiro pedindo uma homenagem ao então policial.


Mais conteúdo sobre:

Jair Bolsonaro
VOLTAR PARA O ESTADÃO