07.03.2019 | 11h15

Ex-secretário de Alckmin vira réu

A 1.ª Vara Criminal de São Paulo aceitou denúncia do MPF, e tornou réu Moacir Rossetti, ex-secretário estadual de Logística e Transporte do Governo Geraldo Alckmin (PSDB). Segundo denúncia do MPF, Moacir recebeu supostas propinas de R$ 289 mil. A ele, são imputados os crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Também viraram réus o empresário Orlando La Bella Filho, dono da LBR Engenharia, e Ilso Tamelini, assessor da Secretaria de Logística e Transportes do Estado de São Paulo.

Moacir Rossetti ressaltou, em depoimento, que trabalhava ao lado de dois Procuradores de Justiça, Ivan Agostinho e Saulo de Abreu, e não havia a menor possibilidade de eventuais pedidos financeiros para quaisquer pessoas, sendo que essa nunca foi a orientação da Secretaria. A reportagem do Estadão não localizou Saulo de Castro, Orlando La Bella e Tamelini. Procurada, a assessoria do PSDB Nacional, presidido por Geraldo Alckmin, não se manifestou. O espaço está aberto.


VOLTAR PARA O ESTADÃO