07.08.2018 | 16h17

Evangélicos afastados de Bolsonaro

Posições radicais de Jair Bolsonaro têm afastado parte do eleitorado evangélico, avaliam lideranças de igrejas consultadas pela Folha. Apesar de defender bandeiras desse grupo, o candidato perde parte do apoio ao expor posições muito radicais, como a defesa do armamento da população.

“Ele perde muita gente por causa do radicalismo no parlamento, porque existe uma forte influência pacifista no meio evangélico”, explica o pastor Luiz Roberto Silvado, presidente da Convenção Batista Brasileira.


VOLTAR PARA O ESTADÃO